01/07/2015

ESQUEMA VIBGYOR: VIOLETA


No post anterior falamos sobre um esquema cromático baseado nas sete cores do arco-íris. Quem primeiro pesquisou sobre como surgiam estas cores foi Isaac Newton ao perceber que quando a luz do sol passava por um prisma surgiam as sete cores decompostas e quando recombinadas em um segundo prisma, reproduziam a luz branca. Gênio é gênio!

Anos se passaram e muitos estudos sobre as cores foram publicados considerando seus efeitos psicológicos e significados simbólicos. Trabalhar com cores é tarefa delicada, exige uma certa dose de conhecimento para o resultado não seja o inverso do esperado.
Vamos falar sobre cada uma delas. A primeira é a VIOLETA.



Associada à espiritualidade e à intuição, é uma cor fria formada pela combinação do vermelho e azul, também chamada de magenta. Produz grande apelo se colocada ao lado do amarelo ou laranja, criando um belo contraste.

Simbolicamente está associada à fé, paciência, sonhos e mistérios. Violeta está ainda associada à igreja; para os cristãos católicos é a cor da Paixão, da Sexta-feira Santa, usada no vestuário clerical de acordo com a hierarquia.

Por ser uma cor difícil de reproduzir, em épocas passadas era símbolo da realeza e da nobreza. A ametista passou a simbolizar a cor e no Egito Antigo os faraós se enfeitavam com esta pedra como símbolo de status; já os gregos atribuíam à ametista o poder de neutralizar os efeitos da bebida.

Comercialmente, violeta não é recomendada em grandes volumes em ações promocionais de vendas, pois muitos afirmam que ela provoca sensação de tristeza, introspecção. Fica então a dica: estude o círculo cromático, escolha um esquema e adote o violeta sempre ao lado de cores vibrantes.
Neste exemplo as tonalidades foram associadas ao laranja e amarelo, quebrando o efeito da cor dominante.

Louis Vuitton- Bond Street, Londres (2013)
 Fontes das imagens:
0'/>