08/03/2017

DESFILES DE MODA: O ESPETÁCULO DA PROMOÇÃO



Vem aí o SPFW N43. De 13 a 17 de março  a agenda vai estar recheada de desfiles das grandes marcas, o mundo da moda começa a se agitar e os analistas debruçam-se sobre as expectativas diante de um panorama de economia recessiva e sobre como o mercado consumidor responderá. Confira  o calendário. Mas qual a importância de eventos tão grandiosos como este?

O Marketing trabalha com ações conjuntas conhecidas como os 4 P's (produto, preço, praça e promoção) que tem como objetivo atender as necessidades de  um mercado já determinado. O Marketing de Moda não é diferente e utiliza-se destas mesmas ações, mas uma delas torna-se relevante pois é um segmento que busca conquistar o consumidor pelo viés da emoção. Falamos da Promoção que responde por todas as estratégias utilizadas para tornar conhecidas as coleções principalmente em fase de lançamento.


Citamos em post anterior a grandiosidade de um desfile da Chanel na Semana de Moda Prêt-à- Porter de Paris que, como sempre, provocou uma repercussão imediata na mídia, não só pelo poder da própria marca, mas pelo espetáculo em si.

O desfile é a forma mais importante e comentada quando se fala em divulgação dos lançamentos dos produtos de moda. Nele o estilista apresenta suas ideias, em coleções desenvolvidas após meses de pesquisas sobre tendências que se originam atualmente nas análises do comportamento do consumidor. As coleções recebem um nome próprio que resume o conceito que será apresentado e é a partir deste nome que a marca vai ser promovida nas campanhas publicitárias chegando até o Visual Merchandising no PDV. Tudo deve ser construído de forma harmônica para facilitar o diálogo não só com a imprensa mas com o público-alvo que vai acima de tudo comprar a ideia e o produto.


Existem os desfiles conceituais nos quais a marca provoca reflexões sobre um determinado tema como um gancho para causar impacto com performances ousadas, cenários multissensoriais, que mexem com a emoção e ficam registrados na memória por muitos anos. Um exemplo foi o desfile-conceito de Jum Nakao intitulado "A Costura do Invisível".


Segundo o site do estilista: 
"Em 17 de junho de 2004, no maior evento de moda da América Latina, SPFW, elaboradíssimas roupas construídas em delicado papel eram desfiladas por modelos com perucas playmobil numa performance que simulava um desfile de moda. As roupas foram confeccionadas em papel vegetal de diversas gramaturas e modeladas milimetricamente sobre os corpos das modelos de forma primorosa, filigranas entalhados manualmente reproduziam rendas, gravações em altos e baixos relevos simulavam brocados. Foram consumidas meia tonelada de papel e mais de 700 horas de trabalho.
Ao final todos os vestidos meticulosamente construídos foram destruídos em cena pelas próprias modelos.
A Costura do Invisível recebeu o título de desfile da década pelo SPFW e foi reconhecido como um dos maiores desfiles do Século pelo Museu de Moda da França. É referência nas mais importantes publicações sobre Moda e Design do Mundo e integra acervos Internacionais de Museus de Arte e Moda."

Após o SPFW, vamos aguardar quais as tendências serão aceitas e o que vai estar não só nas lojas, mas principalmente nas ruas, que é o principal laboratório de pesquisas e espelho do que realmente caiu no gosto dos consumidores.

Créditos:

0'/>