14/09/2016

VISUAL MERCHANDISING: BRECHÓS


O que antes era um local frequentado por figurinistas, tribos hypes ou clubbers em busca de peças vintages, tornou-se uma opção para quem quer comprar peças de alta qualidade por preços acessíveis. Os brechós abandonaram o conceito da exposição maciça de roupas e acessórios sem nenhum critério de organização para transformarem-se em lojas que cuidam do Visual Merchandising como qualquer outro tipo de varejo que deseje resultados lucrativos.

Um dos fatores que aquecem este segmento na Europa e Estados Unidos é a sustentabilidade. A consciência de que os recursos naturais correm riscos, vem aos poucos moldando o comportamento de consumo e o descartável vai cedendo lugar para o reaproveitamento. Juntando neste mesmo pacote a crise econômica, resolve-se a equação: uma roupa de griffe, privilégio dos mais abonados, disponível para quem está com a calculadora na mão controlando os gastos.

Mas o sucesso dos brechós também está vinculado, como falamos, aos princípios do Visual Merchandising: layout, setorização, bons expositores, iluminação, sonorização, etiquetas de preços visíveis e aromas que nem de longe nos remetam à naftalina muito menos ao mofo. Veja nestas imagens que selecionamos bons exemplos de brechós em várias cidades do Brasil. Inspire-se!


8CYHYYC6

69DX8W84



010615-brechos-de-luxo

Se estiver de olho neste tipo de negócio, leia o artigo "Como montar um brechó", com dicas bem interessantes.

Créditos:
Imagens:

0'/>