22/03/2017

COMO O MIX DE PRODUTOS DEFINE O PROJETO DE VISUAL MERCHANDISING

SPFW N43
Com a chegada da nova estação os produtos chegam às lojas fresquinhos para encher os olhos dos consumidores ávidos pelas novidades. Hoje nada mais é segredo, afinal as redes sociais e sites especializados em moda estão aí para antecipar as tendências e despertar o interesse do público. A pergunta é: o mix de produtos define o Visual Merchandising da loja? A resposta é sim, ou ao menos deveria.

Sabemos que cabe ao Visual Merchandiser a tarefa de organizar a apresentação dos produtos de forma criativa e rentável ou seja, tudo tem que ser cuidadosamente planejado para alavancar as vendas e tornar visível a oferta. Conhecer a coleção faz toda a diferença na hora deste planejamento. Desta forma o profissional tem à sua disposição informações sobre como e em que local os produtos serão expostos.

Uma coleção de moda é estruturada em três segmentos:
  • produtos de imagem
  • produtos de margem
  • produtos de volume
Produtos de imagem: são as peças mais elaboradas, conceituais, aquelas que aparecem nas passarelas e em campanhas da marcas. Trazem o tema e o conceito da coleção mas possuem tiragem limitada pelo custo mais elevado de produção e obviamente o preço também também é mais elevado. Alcança os consumidores inovadores, que querem estar à frente da maioria. Estes produtos apesar do preço, não geram grandes lucros, mas são importantes por causarem impacto nos consumidores. Em época de lançamento estão nas vitrinas exatamente para comunicar o tema da coleção.

Produtos de margem: são peças elaboradas, que trazem as cores, modelagens e tecidos que compõem o tema da coleção e refletem fortemente as tendências da estação. Vendem bem, gerando uma boa margem de lucro, pois é o que o consumidor em geral procura para sinalizar que está antenado com a moda. 

Produtos de volume: aqui estão aquelas peças que entra ano sai ano, entra estação e sai estação elas estão presentes. São as básicas, que todas as marcas mantem em sua linha de produção. Camisa branca, jeans skinny, saia lápis, alfaiataria em geral vendem o ano todo. Além disto possuem a vantagem de compor com as as peças de margem, looks que refletem a tendência da estação. Apesar de possuírem uma margem de lucro menor, ganham em quantidade vendida.

Conhecendo como a coleção foi montada, quantas peças de cada modelo e suas variações de cor e padronagem, o Visual Merchandising é definido com as perguntas: quais peças vão para as vitrinas, como serão expostas nos equipamentos, são necessárias mudanças de local destes equipamentos em função da importância de determinados produtos? 

E mais, haverá alguma alteração no design da loja para acompanhar o tema da coleção? Tudo isto deve estar documentado com antecedência evitando atropelos de última hora como por exemplo, não dispor de um display adequado para apresentar "aquele" produto-chave da coleção e lançar mão de improvisos, perdendo oportunidade de venda.

No concorrido segmento do varejo de moda, cada detalhe representa uma oportunidade de conquistar novos clientes e fidelizar os existentes. Planejamento é tudo!


Créditos:
Imagem


0'/>